segunda-feira, 20 de julho de 2015

O que eu aprendi neste BBBee?

Eu fui mais uma vez ao BBB - XVII Edição - Este ano foi para Mari (BBB), e todo ano é especial de alguma forma.

É claro que como sempre eu tenho os agradecimentos aos organizadores, à TDB... tem àquela alegria de reencontro dos velhos bruxos amigos; dos amigos que devido à distância, só vemos uma vez por ano, ou a cada dois anos... Do conhecer e reencontrar amigos novos...

Mas este ano eu resolvi pensar um pouco sobre o que foi que eu aprendi "Na doçura de Mari"
- Que o mel, adoça corações, olhos e ouvidos;
- Que a generosidade pode ser reconhecida em um coração, mesmo à distancia de um continente e de uma língua diferente;
- Que Brigith é mãe e mel;
- Que mel é amargo também;
- Que abelhas falam! 
- Que dançam!
- Que eu danço!
- Que mel, amor e alegria andam juntos!
- Que saúde, amor e mel, andam juntos!
- Que ter um propósito na vida, traz felicidade.
- Que o universo caminha em equilíbrio.
- Que todos estamos ligados, de fato.
- Que a Deusa se manifesta, mesmo por quem não sabe quem ela é.


Que a natureza é generosa, próspera, bela, amorosa e afável... nós não.

Obrigada por todas estas lições e todas as Bençãos de Retorno.

3c

Parte destas lições, estão expressas no projeto Blessed Bees Project, lançado no evento... acompanhem!



quinta-feira, 16 de julho de 2015

Celebrando o dia do homem...

Eu não sei o motivo de criação desta data, mas como tudo, deve ter hoje um simbolismo comercial.Mas e na bruxaria, o que isso significa?
Vale pelo menos um momento de reflexão sobre como estão sendo tratado nossos homens e meninos pagãos.
Eles vieram de uma criação tão dura quanto a das mulheres, onde o fantasma do patriarcado sussurrou todos os dias e todas as noites, ditando suas ações, suas expressões, suas emoções.
Mas nós, sempre oprimidas, não nos lembramos de observar, que sejam eles pais ou filhos, gays ou héteros, de quaisquer etnias, possuem a mesma ferida a ser curada e limpa.
Que nossos homens, filhos e sacerdotes consigam se livrar do estigma do machista patriarcado.
Que possam ser honrados como filhos e herdeiros da Deusa!
Que sejam representantes legítimos do Deus!

Que eu possa dizer realmente a vocês: Feliz Dia do Homem a vocês!

Beijos e Bençãos

3c

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Maldições Exageradas...

Um rapaz me perguntou sobre maldições em meu e-mail...

Sabe, eu fico impressionada como as pessoas são incapazes de analisar o custo energético de uma maldição. O objeto desta parece ser merecedor de uma punição, talvez até a morte, por ter a atenção do seu amado; ter roubado o lanche da escola; ou sei lá o que.

Eu não gosto de ensinar feitiços pela internet, muito menos maldições, mas resolvi dar algumas informações que eu considero importantes a respeito de maldições:

1) Apesar do grande fluxo de poder que a raiva traz, deixe para fazer uma maldição estando de cabeça fria, para poder pensar com clareza no feitiço e evitar refazer o feitiço.
2) Como todo feitiço, uma maldição tem custo energético alto. Tenha certeza de ter de onde tirar o abastecimento do feitiço.
3) É bom (mas não obrigatório) que você seja proporcional à ofensa na punição. Pois a lei do retorno serve a todos no mundo. Inclusive pra você. Se você for um wiccano como eu, voce estará também sujeito a lei triplice.
4) Use técnicas que você domina. Por mais simples que sejam, serão mais eficientes que técnicas que você só ouviu falar ou está testando.
5) Se você tem aliados mágicos, conte com eles.
6) Garanta a segurança do seu círculo. Use técnicas de ocultação.
7) Empodere suas ações, sendo orientado por uma divindade, trabalhe com a mediação dos deuses.

8) Procure trabalhar com honra e justiça. Isso empodera você e suas ações em todos os planos.

É isso...

Espero ter ajudado.

Bênçãos Plenas

3c

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Conselheira sentimental, Eu???! Não....

É incrível como algumas mulheres são usadas por seus parceiros ou namorados e sequer se dão conta disso. Uma amiga veio me procurar como confidente, com os olhos cheios d'água... "o que foi fulana?" "nada, estou triste... Briguei com beltrano de novo. Mas ele tem razão. Eu sou uma descontrolada mesmo. Sou uma insegura..." "mas o que rolou?" "ele foi assistir um filme com uns amigos hoje na casa de uma amiga." "ué, e qual o problema nisso?" "nenhum, mas é que, de novo ele deixou pra me contar pouco antes de sair, aí veio com aquele - vc quer ir? - bem amarelo, sabe? Daqueles do tipo: tomara que ela diga nao, senão vai estragar minha diversão... Isso, alguns minutos antes de ele marcar pra ir na casa de outro amigo, no dia seguinte, pra ir num lugar, que fica a alguns minutos que eu tinha implorado pra ele ir pra mim no dia anterior... Eu até comecei uma discussão, mas fiquei tão chateada que desisti, fui chorar no meu canto. Ele veio fazer graça comigo... Deixei passar. Nao adianta mesmo. Ele nao faz de propósito. Ele esquece mesmo de me falar. Ele gosta de se divertir com os amigos e nao nota que me machuca. Eu que tenho que aprender a nao me chatear com isso..." "Ah nao!!!! Fulana!!!! Bebeu foi?! Que porra é essa? Esse nao é o mesmo cara que você disse que nunca te leva quando sai com os amigos? Que nunca te acompanha em teus compromissos? Que nao comemora datas importantes com você? Que quando você esta sozinha com ele, sempre prefere outra atividade?!" "é." "Então neguinha, avisa pra ele que já inventaram o cartão vermelho e que a fila anda. Deixa de ser babaca! Tem um monte de cara legal interessado em andar com a namorada, leva-lá ao cinema, passear, namorar na rua, conversar. Tem um monte de cara que ainda sabe como uma mulher gosta de ser tratada, bem tratada. Sai desta onda de mulher dos anos 50 e volta pra realidade! Mas, numa coisa seu namorado tem razão..." "no quê?" "você tem um problema, e só você pode solucionar..." "qual?" "se livrar dele, otária..." É, acho que nao sou a pessoa mais indicada para conselheira sentimental, né?

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Boa noite, benção vó.


Lágrimas não conseguem rolar do meu rosto, 
Mas meus pensamentos voam... vão lá atrás... 
Eu na escolinha O Saci... Na Barra Funda
Você e minha tia...na grade
Lado a lado, me olhando, esperando.
Com um sorriso aberto.
Minha vó.

Lembro do calendário colorido metálico
1979, meu palhaço vermelho, 
Grande...na sua casa, 
Seu marido.
Brava.

Lembro da gente na casa do Tio,
Em Minas Gerais,
Da igreja evangélica.
e da nossa volta.
Rápida.

Lembro do Santa Emília,
1981, nascimento do meu irmão
A gente junto, de novo.

Lembro da minha professora particular
Do meu primeiro roubo e da minha surra
Mas lembro das roupas e dos risos...

Lembro do Mobral,
Que íamos juntas, você tentando aprender
a coisa mais simples do mundo,
Ler.
E eu na minha santa ingenuidade, acreditando
que eu podia te ensinar mais
E eu nem tinha começado a viver.

Lembro de toda minha infância,
Que apesar de sua rigidez e braveza 
foi cheia de alegrias e aprendizado

Lembro dos cadernos que me fez comer
Por que minha letra estava feia...
E do orgulho que sempre teve
A cada vitoria minha...

Lembro de você na minha formatura de oitava série,
Sentindo-se a mulher mais realizada do mundo
Como se eu estivesse me formando em medicina
Minha avó.

Vó, te vi enfrentar seus próprios preconceitos,
Para me ajudar, para me apoiar
Vi você envelhecer
Mas não te vi enfraquecer

Não te vi doente
Não te vi frágil
Não te vi fraca

Nunca.
Você nunca foi nada disso.
Você nunca esteve nada disso.

Você sempre foi generosa.
Ambiciosa
Grandiosa...

Até sua morte foi assim
Grande.

Você morreu fazendo o que queria
Quando queria
Por que queria.
Morreu na sua casa, brigando
Só de birra
Desafiando a morte
e sua sabedoria.

E você me ensinou que era assim que devíamos viver
Brigando pelo que queríamos.

A ironia está em você morrer sem a pessoa que você mais queria ao seu lado, por minha causa.
Você morreu quando eu estava doente, frágil e fraca... como você nunca foi.
E eu te roubei a companhia de uma vida toda...
No único dia que você de fato precisou dela.

Perdão vó.
Perdão por uma partida mais solitária que queria.
Perdoe-me por não conseguir chegar até você
Perdão por não ser tão forte quanto você me ensinou
Perdão.

Mas felizmente eu te disse, e você sabia
Te amo muito. Vou sentir sua falta.
Estou com saudades.

Agora, esta saudade vai ser muito maior.
E não vai passar tão fácil.

Mas aqui comigo,  no meu peito e na minha mente
Você estará sempre viva, em quem sou
E em quem serei.

Que o seu Deus te recolha em amor e em perdão.
Que a minha Deusa te guie em luz e compaixão.

Eu abençoo tua partida, mesmo sofrendo,
Por que te amo.

Boa noite e bênção vó...
É uma pena que eu não vou mais ouvir:
"Que deus te dê vergonha"... como você responderia...
Como eu queria


Maria do Carmo da Silva Câmara
* 29/7/1929 +18/11/2011

Minha vó. Foi menina, moça, mulher, esposa, amante, amiga, mãe, tia, prima, sobrinha, filha, avó, tia-avó, bisavó. Mas a mais conhecida de todas: Foi GUERREIRA.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011





A louca! Ah! Louca!!! Louca!
Apontam àquela que grita
Esperneia, destemperada
Aflita....

Louca, insana!
Queres fazê-la calar
Mas como!
Insano homem!
Se não a deixas falar...

Na Louca, todo mundo manda
Pisa,
Da Louca todo mundo ri
inferniza

Quando ela tenta dizer
Tua bocarra a emudece
Tua sombra a empalidece
Teu comando a elimina

Quando aqueles olhos
Imploram
Ainda secos
Seus olhos
Teu peito

Ignoram

A louca insana
Faz ouvida, apenas
quando grita,
Mas, vira chacota
Sátira
Decomposta
Àvida

Já sem controle
Descabela-se
Em lágrimas
Desconstrói-se
Em frazes cortadas
Gritadas
Partidas
sem sentido

Tudo por que a Louca
Insana,
queria ser ouvida
Antes
de ser
ferida....

Mas a louca,
é "aquele tipo de gente"
Que espera um abraço
Um afeto,
Um apoio
Que espera um olhar
Além dos olhos louco
Dentro de seu peito
Amoroso
Caloroso
Afetuoso...

A louca só precisa
Ser amada
Acalentada
Cuidada
Para ser serena
Lúcida, Sã
Amante
Amiga

Mas se insistir em dar-lhe as costas
A louca, virá sempre
a dar-lhe gritos
soluços e
desespero

Se insistir em nao querer ouví-la
pode não mais tê-la
no outro dia
e no outro
e nos outros
Pois a Louca
Se tornará desvario lúcido
e Túmulo.

domingo, 4 de setembro de 2011

Parar de Fumar - Diário de uma viciada - dia 3 - Missão impossível.


As vozes me deram uma folga hoje.
Por outro lado, pude notar quantos segundos tem um minuto, quantos segundos tem uma hora, quantos segundos tem um dia.

Não consegui fazer nada a tarde. Não foi possível me concentrar em nada. Nem era por vontade de fumar. Era por distração. Não lavei roupa, não fiz comida. nem tenho certeza que existi...

Mas, pelo menos consegui chegar às 16h, sem vozes e sem companhias estranhas.

O psiquiatra falou que preciso de endorfina. Auxilia no processo. fiz o possível. Depois agarrei o chocolate. não soltei mais. O gengibre acabou. Ele acalma a ansiedade e supre a necessidade de estimulantes do organismo.

Às 17h as vozes chegaram, inicialmente em velocidade zero. tranquilas. apenas me lembrando que eu não fumei hoje. Lembrei da minha amiga que já parou de fumar falando: Isso passa.. parece que não, mas passa. tenha certeza.
Até as 19h, as vozes chegaram mais fortes na minha cabeça. mais gente dizendo pra eu fumar. está na hora. a palavra cigarro, a cor cigarro, a imagem cigarro, o cheiro cigarro, o tato do cigarro... tudo cigarros.

Meu amado comentou que ontem meu halito estava estragado, mas hoje, parece estar bem.

Continuo pedindo cigarros a qualquer um que vá sair de casa. Felizmente, ninguém traz.

Guardei a carteira que fumei ontem. Tirando da vista, finjo que ela não existe.

As 20h, o desespero ligou, avisando que ia chegar... Quero dizer, a fissura começou a ficar intensa. Fui tomar um banho, me vesti e saímos. fui conhecer o deck novo do lago. Fomos e voltamos a péis... Meu amado acha que sou atleta, na volta, deixei algumas gotas do meu suor no caminho. A caminhada foi cansativa, mas também revigorante. estou chegando as 22h, ainda não fumei. Acho que não vou fumar hoje.

Estou esperando a pizza chegar e assim que comer, pretendo ir dormir.

O desespero está atrasado, graças aos deuses! Talvez seja por causa da minha caminhada. Se eu dormir cedo, acho que vou encontrá-lo só amanhã.

Tá difícil de eu achar algo bom. Mas vou tentar. A caminhada foi pesada e eu suportei de boa. Meu nariz está descongestionado. Meio ardido, mas limpo.

Não tem cigarro nem fumaça na casa. Acho que os gatos estão respirando melhor...

Meu amado falou que o gosto da pele também mudou. Está melhor.

Continuo tossindo bastante e com bastante muco. Minha vó sempre disse que tosse seca é ruim, tosse com muco é bom.  O muco tira a sujeira. Parece que meu pulmão está querendo/tentando ressuscitar.

É isso, continuarei contando quantos segundos a mais uma hora pode ter.

Me preparando para o dia 4.

Quando voce sair, pode trazer um cigarro pra mim?

Parar de Fumar - A missão mais que impossível - Diário de uma viciada.


Gentem, estou tentando parar de fumar.
Para tanto, me inscrevi no programa anti-tabagismo do corpo de bombeiros.
Passei pela entrevista. Terei 4 reuniões semanais, com psicólogo, terapia de grupo e psiquiatra.


Dia 1 - Adesivo na alma, medicação em funcionamento.
Passei o dia ouvindo uma voz na cabeça: tá na hora de fumar, tá na hora de fumar...Cara, a cada 60 segundos, esta vozinha falava umas 50 vezes a mesma coisa! 
Sobrevivi a parte da manhã no trabalho. Mas, como nada pode ser tão ruim que não possa ser piorado, a TPM resolveu se associar ao processo de ansiedade. Chego em casa na hora do almoço e começo a ranzinzar... Estava tão ranzinza que nem eu estava me suportando, almocei em 20 minutos e para não brigar, voltei pro trabalho.
Que inferno! a parte da tarde, que usualmente tem apenas 4 horas de serviço, pareceu ter cada segundo multiplicado por três! O dia não acabava, as pessoas ficavam falando, falando, falando e eu querendo um lexotan.
Mas nem tudo foi ruim, já que, como não saí pra fumar nenhuma vez, o serviço rendeu pra cacete.Enfim, deu 4 horas da tarde! Só faltava mais uma hora de trabalho e então a primeira fissura apareceu. Leve e tranquila, mas eu tinha que sair da sala.
Peguei um lápis branco e avisei as meninas, vou fumar. Saí, munida do meu celular, com meu lápis branco na boca e passei 10 minutos, jogando o meu jogo predileto, fingindo que fumava meu lápis. 
Voltei pra sala e consegui terminar o expediente.
Mas ainda não tinha terminado o dia. E aquela voz estridente e insistente, falava, falava. Agora na velocidade 4! (Traduzindo, de 50 vezes por minuto, passou para 200 vezes!).
A irritação era derivada de ato simples: respirar! Por que todo mundo respira! Dá pra parar! Eu não consigo pensar, com tanta gente respirando! Socorro.
E ainda eram 17h30 minutos.
Preciso comer, beber, fazer sexo, plantar bananeira, pra esta voz parar de falar...
Não consegui silenciá-la. E a tortura seguiu.

Cheguei às 19h. Já que não tenho nada mais importante pra fazer, vou assistir a um filme, nós três...
Não sei que filme era, quem estava nele, sobre o que era... a voz não deixava eu entender.
Um pensamento acalentador se fez presente: Preciso dormir. Se eu dormir, a voz dorme também!
(Meus Deuses, estou ouvindo vozes! Isso não pode ser um bom sinal!).
Meu amado foi fazer um café. Fez, sentou e saboreou seu café. Não trouxe pra mim... e já eram 21h00.
Fui buscar meu café. Garrafa aberta. Com o coador em cima. Já haviam se passado 120 segundos da hora que o café foi feito. O café estaria gelado. Reclamei da garrafa aberta. Fui por agua no fogo para um novo café, afinal, não posso tomar café gelado. Não tem graça.
E a tão procurada briga começou. E não paravam as vozes. Mas de repente, elas se interessaram pelo diálogo, e o volume reduziu.
Chegamos quase a meia noite rapidamente.Ainda na briga. Eu acabei não fazendo o café fresco, não tomando o café frio, que pude comprovar pela mão do meu amado, que ainda estava quente o suficiente para queimar a pele. As vozes se interessaram de fato pela briga, e calaram-se. Mas nós também calamos. Ele saiu e foi-se. Disse que ia refrescar as idéias e se acalmar, pois eu havia sugado a última gota de sua paciência.
Ele saiu, as vozes dormiram. Ficamos eu, o celular e as lágrimas.
Cheguei à 1h da manhã, com meu computador e um e-mail.
Chegamos então as 2h da manhã. Eu, o celular e ele. Eu só queria saber onde ele estava. Dizer que o amava e essas coisas bobas de quem sabe que pisou na bola. 
Mas então ele diz que não voltará nesta noite... e que está ofendido e magoado.
As vozes acordaram e se interessaram. Intercalaram as frases. Entre um "tá na hora de fumar" e outro, elas diziam "ele não volta, ele não volta". Velocidade 5.
Mais magoados e 45 minutos depois, desligamos o telefone. Ao menos ele disse que voltaria pela manhã.

Fiquei entregue às vozes. Acho que no auge da insanidade, dialoguei com elas. A angústia era a nova companheira da madrugada. Achei que poderíamos jogar can-can ou quem sabe paciência.
Não. paciência não. esta eu não tinha e também não quis vir mesmo depois do meu convite.



Dia 2:
Chegamos às 6h00 da manhã. Apolo trouxe o sono na sua carruagem.
Dormi. Foram quase 100 minutos de sono ininterrupto. Dormi  até cansar. 7h40 estava de pé, (em pleno sábado!) tomando minha droga, meu banho e colando meu adesivo.
Tomei quase um litro d'agua.
As vozes demoraram pra acordar e a manhã passou tranquila.
Chegou a hora do almoço. Comprei dois marmitex. Quase não consegui comer. Então eu percebi que a manhã tinha ido embora.
Ele não tinha chegado. Então, ele foi embora. (esta foi a conclusão das vozes, que aceitei prontamente, pois pra mim, a lógica estava correta).
Mas ainda tinha a companhia de uma amiga. As vozes não se atreveriam a discursar tanto.
Chegamos as 14h. Me senti vitoriosa. sem cigarros. sem a vontade de fumar. só as vozes intermitentes e irritantes. Velocidade 8.

De repente, algo se apoderou do meu corpo. Uma vontade imensa de fumar. esta vontade preenchia cada milímetro de meu ser. cada fio de cabelo, cada poro. A angustia que me acompanhou na noite anterior, cedeu lugar ao desespero.  Era hora da segunda dose do remédio. vou tomá-lo e ele, com fé em nosso senhor salvador dos desesperados - o Deus Loki, ele irá aplacar minha alma.
Chegamos às 15h. 

E ele chegou. O desespero começou a retirar-se. O dia estava completo. As vozes estavam erradas. E eu pude respirar. Eu estava feliz.

Mas ainda ofendido, pediu para ficar consigo mesmo e seus pensamentos. 

O desespero também. Os comentários também. As conclusões também. E a angústia voltou a me visitar.
Preciso sair, respirar. Respirei. Comprei um chocolate e uma carteira de cigarros.
Todos silenciaram-se. A expectativa de saberem se eu fumaria ou não foi gigante.

Cheguei em casa. Ele perguntou se eu iria desistir do tratamento. Eu disse que não. Ainda não. Mas, se eu mudasse de idéia, queria o cigarro a mão.

Com as vozes mudas, todos os outros me acompanharam pelo longo olhar, de 10 minutos que se seguiu. e a dúvida entre a melhor escolha, chocolate ou cigarros não pode ser sanada.

Fui às compras, já eram 16h. não passava. queria me rasgar, arrancar as entranhas. vamos andar mais um pouco. vai passar. Não! Vamos voltar pra casa. Lá sim vai passar. E lá estava o protetor dos desesperados... a rir de mim. 

Com peso nas mãos, eu e meus pensamentos. Por que eu havia mesmo decidido parar de fumar? Por que não posso retirar os miomas, se continuar fumando. Se eu não retirar os miomas, não terá gravidez. Sem gravidez, não existirá Helena.

Comecei a me questionar se haveria Helena. Para ela existir, precisávamos ser dois. e eu não estava conseguindo ser um terço. Eu ainda não sabia, como não sei, o que vai acontecer amanhã. E as vozes resolveram dar suas opiniões. Fume agora! amanhã, você saberá se vai ou não existir a Helena.  Velocidade 10.

Cheguei em casa, tentei perguntar se haveria Helena. Enumerei os passos que haveriam até ela chegar. Quis saber. Pois eu disse as vozes que sim. A Helena viria. Ele diria que sim. Que seríamos 2. Mas ele não disse.

Então, resolvi fumar agora. Quando eu souber se ela vai existir eu retomo o processo. Meu amado me disse que eu desisto fácil das coisas. Eu disse que ainda não estava desistindo. Que eu precisava apenas de um cigarro. e que estava suprindo minha vontade.

Chegamos as 17h. As vozes se foram. Eu fumei um cigarro. Não me senti culpada. 
Meu corpo não mais se rasgava. Minha mente estava tranquila. Cheguei a pensar que ficaria alucinada de novo. que não resistiria às próximas horas. 

Mas passou, tudo passou.
Tivemos nosso rito, logo mais a noite. Uma das meninas fuma. E eu não quis fumar com ela.nem sentir o cheiro da fumaça. As vozes estão caladas desde as 17h. 
Cheguei sozinha, sem as vozes, os deuses, ou sensações até a meia noite de novo.

Sonho 1 - terror. um dos meus bichos vai morrer. Acordo chorando. São 3h30 da manhã.
as vozes dormem. Vou pra varanda chorar um pouco. me acalmo. volto a dormir.

Sonho 2 - estava proibida de tocar e falar com ele. Senão, ele passaria pela porta do quarto e morreria. No sonho, esbarrava nele, ao me virar na cama. ele levantou, no sonho, se vestiu e queria passar pela porta. Desesperada gritava pra ele que tinha sido sem querer. Que eu não tinha feito nada, que ele não devia passar. Tentei dizer que ele morreria, mas a voz não saiu. Pânico, terror. Quando acordo, estou de fato na porta, tentando segurá-la. Ele tentando me acordar/acalmar. Tenta abrir a porta pra buscar agua pra mim. o Terror volta. Ele sai. Estou doendo inteira com a tensão. Ele volta pro quarto, começo a relaxar. tomo a agua. mas estou com muito medo ainda. não consigo falar direito. apenas peço desculpas, (nesta hora, não sei se ainda estou no sonho ou acordada. tento dizer que foi sem querer que encostei nele, mas também digo que não queria acorda-lo). Eram 4h50 da manhã. As vozes continuam dormindo.

Quando finalmente tentamos voltar a dormir, já eram quase 5h30. Mas, eu não consegui pegar no sono direito, até as 6h30. Toda vez que eu esbarrava nele na cama, acordava assustada. 

Sonho 3 - não me lembro. Me lembro da angústia.



Dia 3

Acordei as 9h. corri para minha droga. meu banho meu adesivo.
As vozes não voltaram ainda. 
Estou apenas eu e meus pensamentos.
Nenhum pensamento obsessivo passou pela minha mente até agora. Não estou com vontade de fumar.
Não quero matar ninguém.
Estou preocupada com o terror dos sonhos. mas acho que meu subconsciente está tentando me dizer que eu estou fudida e que não vai ser fácil passar por estes 30 dias.
Mas ainda estou confiante.
Cheguei até as 11h30 sem vontade de fumar. E, já estou no dia 3.

(A minha esperança está sem cor, mas ainda assim é uma esperança).



domingo, 21 de agosto de 2011

19 de agosto - um dia para ser lembrado...



Acordei pela manhã, sozinha...
Me lembrei o motivo...
Maldito... Sai e não me avisa!

Uma manhã infernal de trabalho
Paciente alterado aos berros,
(Caralho)
Respira fundo, almoço.
Meu amado?
Não sei, sem almoço.

Ele liga, insiste
Preciso almoçar... Desligar
A Clínica está realmente
Impossível

Vou pra casa, conversamos
Quase fazendo as pazes...
Humpf... Ele Mente!

Pensa só, toda a base da nossa relação
Jogada e esfregada no Chão!
Ele Mente!

Furiosa, de volta ao trabalho...
(Não consigo trabalhar)
Dificil até de respirar.
Ai meus Deuses
Tenho que trabalhar.

Quer saber? Vou sumir hoje.
Desligar o Celular!
Vou me mudar...
Ninguem (ele) vai me achar!

Pensando comigo mesma,
Daqui a pouco ligo pra ela,
Encontro no curso,
E durmo lá...

Mas, lá vem a ligação, 
Cinco e meia, ja devia estar em casa...
Ele quer saber: "Que horas voce chega?"
Pra quê quer saber?
De novo, mesma resposta...

Então ele diz:
Eu te amo muiiiiiiiiito, muito mesmo...
E por te amar tanto, tive que mentir
Por que voce é infernal
Advinha e vê tudo
E não me deixa te preparar aquela surpresa...
Eu mentir, mas foi pra conseguir
Te agradar...
Vai pra casa e lê a carta 
E depois, vem me encontrar...

Pensei comigo: "Fudeu! 
Tenho que me desculpar!

A carta eu li, e chorei,
Era o começo da jornada da noite,
7 estações, em busca dele
O meu.

Ele contou a nossa história
Com os lugares em que nos encontramos
que compartilhamos
Como ele lembrava
Como eu gostaria de lembrar
Por 7 lugares eu passei...
Por 7 cartas eu viajei 
Nas lembranças do Meu
Amado e Sedutor
Amor.

Na última estação cheguei
Cansada, tensa e angustiada
E estavam lá nossos amigos
E ele chegou, do fundo
Do nada,
Como o nosso amor.

Um beijo, e em seus joelhos apoiou
Reforçando seu pedido
De divisão de sonhos
Perdidos e achados
Presentes e futuros
Nervoso...
Em meu dedo, Aquele anel
Colocou,
Com um pedido apenas:
Amor.

Sorri e assenti,
Aceitei
Também me ajoelhei.
Pedi.

E trocamos o mais doce beijo
Que podíamos
Que queríamos
E todos os presentes,
Sorriram, choraram
Assistiram

E eu, 
bem,
Ainda não me desculpei...
Te amutama


domingo, 14 de agosto de 2011

Nos Caminhos de Hécate

Nos caminhos de Hécate

Abrindo as portas vem Kleidochos
Trazendo as Chaves
Ela te acompanha sempre, antes dos Portais
Seu impulso e Força são representados por Kratais
Sinuosa Serpente, destra animais
Beleza e saber, Kalliste
Sorri te encaminhando ao Espelho
Helike, abre-lhe a alma
Acelerando teus passos vem Epaine,
Estalando o Chicote, em teus calos
Fazendo a força, correr em Cavalos
Para a refeição, saborosa no Caldeirão,
Mexido por Chtonya, com caldo forte e escuro,
No brilho do Submundo
Para te preparar, a quem te recebe depois dos
Portais, ao Corvo, receptor dos Imortais,
Protyraia, nutrida, te dá boas vindas
Mas a noite chega, e Phosphoros e Pritania
Te dao o calor, a inspiração e a direção
E a segurança, Brandindo a Espada
Iluminando a noite, até tornar-se dia
Para a festa começar, com Pritânia
A Diversão, ceifando o trigo, a morte
E a maldição.
Estamos prontos para o Labirinto do mundo,
E a voz de Kroukopeplos nos guiará
Diante da Ampulheta do tempo,
Os segredos do futuro, A Moerae Contará
Com o ciclo completo, o mistério ao sábio
Trivialidade tornará, e as mãos que a todos alcança
Hecate, na sua roda, girará.

3c 12082011

Festa de Aniversário

Uma mulher, conhecida e amada, há cerca de um mes e meio, chegou em seu carro vermelho - pra combinar com seu celular novo - me convidou - melhor dizendo: me intimou - ao seu aniversário.
Relutei no convite, afinal era uma festa surpresa, num endereço que há muito eu não ia. Não conhecia mais os organizadores da festa, que seria surpresa... mas, ela disse: Venha. Eu estou lhe chamando. Aceite.

Bom, fiz os contatos necessários, os pedidos formais e enfim, enchi-me de coragem e à Festa eu fui. Ela disse: Divirta-se! E eu tensa, assenti. Hoje foi a festa. Os convidados foram atenciosos. Os organizadores, foram carinhosos.

A aniversariante teve 24 horas de celebração, ganhou inúmeros presentes... Sério! Ela ganhou moto, ganhou uma tattoo, uma foto sexy, um almoço, uma sobremesa, um jantar... um lanche, coca cola, café... sorvete, amigos, carinho, a lua, jogos, teatro, poesia e Amor. Ela ganhou Amor... Amor em diversas formas e atos. Ela ganhou o que mais sabe dar.... Ela ganhou Futuro! Futuro para suas Crenças mais íntimas e pessoais.

Ela ganhou certezas e tirou muitas dúvidas. Ela apagou dívidas e dúvidas.  Ela distribuiu alegria.

Ela falou em paz, amor, felicidade e retribuição.

Quem organizou ofereceu generosidade, abrigo e alento. Ofereceu conhecimento. Ofereceu Luz. O que é estranho quando se trata de Sombras. Isto me fez me pensar novamente nas Sombras... refração simples. Equação mais simples ainda... Luz e Trevas, juntas, levam às Sombras.

Bom, o fato é que a festa teve música, comes e bebes, dança e celebração. Teve boas memórias e muitos sorrisos. Franca e Sincera alegria.

Minha amada amiga ficou feliz. Eu fiquei feliz. Os Anftriões ficaram felizes.

Foi uma festa de aniversário. Mas, fui eu quem ganhou o presente.

Obrigada, a todos.

Obrigada Amada.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Um jantar perfeito - Surpresa




1kg de sal - essencial
3 ton de acucar - ou mel
Pimenta, gengibre e canela
Mistura tudo, na mesma panela
Aquece tudo com paciencia
Marina com boa vontade
Palavras e verdade
Nao deixe esfriar...
Acerte o ponto e poe na forma
Aquela diferente e fora dos padroes
Acompanhe com um mexido bem gostoso
E sirva com diversidade de formas e folhas
Misturando cores e gostos
A bebida eh o nectar humano
Curtido em paixao, amor e carinho,
De sobremesa, sirva uma torta cremosa
Recheada de boa educacao, doces beijos e muiiito tempo pela frente
Para tentar novas receitas
Que jantar maravilhoso q temos!
Te amo hoje desde sempre ...

sábado, 14 de maio de 2011

Diferenças

... eles chegam em casa prontos para sofrerem uma ressaca daquelas... elas por instinto protegem e cuidam. Agua, medicação, cama e companhia. Pela manha, orientam a boa alimentação. Mantém a atenção. Eles adoram sentirem-se cuidados.
... elas com desconforto físico, dores, em jejum, ou uma simples virose... eles por instinto afastam-se.  Elas, fazem - literalmente - das tripas um coração, retomam sua rotina, por falta de opção. Eles, distraem-se

Com essas diferenças, como é que a raça humana sobrevive?

sábado, 30 de abril de 2011

Ritos

Todo bruxo e bruxa, de forma mais ou menos explícita, espera poder celebrar seus ritos sem pudores, sem medos, sem reservas e sem frescuras.

Mas, todos somos humanos, o que na lógica, nos impele à pelo menos um destes itens vai estar presente quando o rito for sexual...Potenciamente, todos e alguns mais.
Temos medo do julgamento... do que vão pensar, da forma, do corpo do outro, dos comentários...
E tem, claro, o problema da afinidade, da sincronia, do desejo.

Mas, pensamos, pensamos... e fazemos tudo errado!

Uma celebração ideal, seja ela sexual ou não, não se refere a nós. Nós não somos o centro da celebração. São os deuses!

Ninguem é obrigado à copular com quem não gosta, com quem não quer, por que alguem disse que voce deve, por que voce acha que deve. Na pratica wiccana, a Lei de Liberdade e Amor, está acima de tudo.

Então, voce pode celebrar com quem quiser, quando quiser, fazerndo o que quiser...E pode ser que, um dia, cedo ou tarde, voce, seu coven, seu amante, sua comunidade mágica, resolvam querer exatamente a mesma coisa na celebração.

Passei anos em dois grupos...estou no terceiro hoje. Ao todo, completo 8 anos pertencendo à grupos de prática mágica... Em nenhum dos dois, nunca fui obrigada a fazer nada que assim não quisesse.

Mesmo assim, apenas uma vez, eu tive a celebração dos meus sonhos...

O rito foi sensual, foi livre e foi espontâneo... A puxada da Lua foi feita, A puxada do Sol foi feita...
Havia tanto amor e alegria no ar. Tanto carinho, tanta delicadeza... que até hoje eu desejo sentir o mesmo "gosto" em meus ritos.

O Hieros Gamos foi completo, com total liberdade...

E foi lindo...

Então, não se forcem e não se permitam serem forçados... Na hora certa, tudo fluirá... Melhor se tiver com quem compartilhar...

A celebração é para os Deuses, com os Deuses...

Acendam as Fogueiras de Bel!


Antes, muito antes, os fogos eram acesos
Ela e Ele viriam
Rasgariam a Terra
E nela se entregariam
Derramariam a semente
E Ela seria fértil
Úmida e aberta
Entregue e descoberta
Desavergonhadamente farta
E os seguidores e crentes
Deitavam-se e Acostavam-se à relva
Refestelavam-se
Também entregues à lasciva celebração
De vida, sexo, morte e renascimento
Os suores se juntavam
Transborandando a fenda
Da Terra
Ardiam-se homens, mulheres e animais
E a fogueira espalhava-se
Todos os seres, vivos ou não,
Podiam sentí-la...
O fogo era tão intenso, 
Que nenhum voto de fidelidade
Teria influência no Bel
E as crias desta noite sagrada
Seriam diretamente consideradas
Abençoadas crianças dos Deuses
E seriam por todos amadas e protegidas...
Receptiva, normalmente serena
Agora, desaquietava-se
Em desejo, abria-se
Ofertava-se e
Recebia a promessa
O falo, os tufos
Na relva, acesa
Amada, amanhecia
Exausta e feliz.
E tudo abria-se
Na fogueira da Terra
Dos sentidos, do ardor
Por isso, o orvalho de Bel
Era sagrado
Ao amor, ao vinho
À vida, ao sexo,
Ao instinto, à Libido.
Mas os fogos não se acendem como antes...
Os desejos da terra não são satisfeitos
Mas ela, sábia, satifaz-se consigo mesma
Com seus vários, mas ainda assim,
Poucos amantes...
Aos Bel's celebrados em apartamentos,
Motéis, esquinas e ruas
Sob a luz de uma vela, uma lâmpada
Protegidos sob um capô de carro
As vezes sob um mastro de fitas
Outras sob um dance pole
Protegidos da Lua...
Ela ainda assim convida à sagrada orgia...
Instiga, estimula, seduz
E, sem dúvida se faz ouvida
Sentida, desejada e querida
Suas amantes, lhe oferecem
O nectar doce,que só as mulheres
Podem dar...
O beijo, entregue, profundo
no falo profano e vulgar
sagrado e único
As fêmeas se esfregam
À Ela, a Amante...
Oferecem seu gozo e prazer
Com Ela, com eles, com Elas
Com Ele... n'Ela...
Sem as fogueiras, o suor não mistura
A semente não penetra a Fenda
Mas os Amantes, vários, mas ainda assim
Poucos
Se entregam à Lascívia do Caçador
Ao instinto, ao perdido
Ao doce pedido da Terra,
Entregam seus falos à bocas,
as vezes amadas, muitas outras
desconhecidas...
E vertem sua semente,
Para que Ela tenha seu desejo saciado
Ora nos parques, ora nos chuveiros
Ora com seus amados e amadas
Mas ainda assim, se entregam
A Ela, a Ele, a eles e elas...
Tentando assim, manter aceso
O fogo da Terra
Da mulher
Do homem
Da Amante obscura
Do Caçador selvagem...

A Terra mantém seu desejo vivo,
Masturba-se no nosso desejo
Instiga nosso desvario
E por nós, Amantes
Ela se faz Vívida
Ele se faz Sado
elas, suas Ninfas
eles, seus Sátiros

Trepem! Gozem! Riam! Façam Amor! Façam Sexo!
Divirtam-se! Brinquem! Com um, Consigo, com Muitos...
Não importa,
Deixem que Ela e Ele recebam suas oferendas esta noite...
Eles retribuirão a graça...

Feliz Beltane a Todos!



terça-feira, 22 de março de 2011

+1-1

+1
Somam-se então
são agora 3

+1 que hoje de mim aparta
Parte, da parte
são 3

não sei se é +1
ou -1
sei que são 3

parte de mim
que parte
sem mim

a parte +1
-1 de parte
Parte

Parto
departo
sem dar
sem dor

na soma,
+1
-1
= zero

o numero
do Louco
Loucamente
Insano
sono

domingo, 20 de março de 2011

7%


ESCRITO POR REGINA BRETT, 90 ANOS DE IDADE,ASSINA UMA COLUNA NOTHE PLAIN DEALER, CLEVELAND, OHIO.






"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou.

É a coluna mais solicitada que eu já escrevi."



Meu hodômetro passou dos 90 em agosto, portanto aqui vai a coluna mais uma vez:



1. A vida não é justa, mas ainda é boa.



2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno .



3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.



4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.



5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.



6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.



7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.



8. É bom ficar bravo com Deus Ele pode suportar isso.



9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.



10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.



11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.



12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.



13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.



14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.



15. Tudo pode mudar num piscar de olhos Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.



16. Respire fundo. Isso acalma a mente.



17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.



18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.



19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.



20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.



21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.



22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.



23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.



24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.



25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..



26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?'



27. Sempre escolha a vida.



28. Perdoe tudo de todo mundo.



29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.



30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo..



31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.



32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.



33. Acredite em milagres.



34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.



35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.



36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.



37. Suas crianças têm apenas uma infância.



38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.



39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.



40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.



41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.



42. O melhor ainda está por vir.



43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.



44. Produza!



45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.



Estima-se que 93% não encaminharão esse texto. Se você for um dos 7% que o farão, encaminhe-o com o título 7%.


quarta-feira, 16 de março de 2011

Vampiros - 1 - A mãe...

Estava eu aqui, distante de tudo e de todos, em meus devaneios..

De repente, tão distraidamente quanto é possível para mim, me vi relacionando os tipos de vampiros que conheci ao longo da vida....

Resolvi então listá-los, com suas características básicas, para talvez, ajudar aos outros caçadores do seriado Supernatural como encontrá-los, pois eles são assim, tão iguaizinhos a vocês, que se torna quase impossível distingui-los:

Tipo 1 - Mãe
Pode ser a própria,  mas também são pessoas com caracteristicas maternais. Abraçam, cuidam, alimentam e protegem. Mas jamais, repito: JAMAIS, podem ser contrariados. Os seus "filhos" não pensam, não crescem, não agem, sem a aprovação dela. Seu poder especial está em reduzir o poder dos "filhos", com frases do tipo: voce é fragil, fraco, franzino, feio, gordo, magro, alto, bonito, ....  sempre acompanhado do complemento DEMAIS.
Sua alimentação deriva de duas fontes específicas com o mesmo fim: 1) Ao drenar toda sua auto-estima, cria o circulo de co-dependência onde a presa não consegue se livrar, sem sentir-se pior que quando está servindo de alimento; 2) Quando a presa é forte o suficiente para escapar, se enche de lamurias aos outros, que condoídos, se aproximam. Estes então passam a ser os novos filhos.
Poderes paralelos: Usam, como todos os outros vampiros, e alguns tipos de aranhas, de um anestesiamento momentâneo (neste caso um momento pode representar anos). Um glamour e encantamento, usado por algumas plantas carnívoras, que fazem os "insetos" se aproximarem, encantados pela beleza, charme, carisma, perfume... e então, devora-os.
Todos os poderes podem, e são comumente usados ao longo do tratamento da preza.
Antídoto: 1) Acredite em voce! Jamais confie nas opiniões dos outros a seu respeito. Ouça-as, mas, avalie friamente o crédito que dá a cada indivíduo. Neste mundo apenas uma pessoa sabe de verdade quem é voce... voce MESMO!
2) Não se deixe enganar, todos precisamos uns dos outros, mas, sempre é uma relação de troca, e SEMPRE esta relação só existe se for voluntária. Se notar que está doando mais que precisa, mais que recebe ou mais que merece, fique atento!
3) Cresça e procure um psicólogo. Afinal, seus pais têm responsabilidade sobre as feridas na sua vida, mas SÓ ATÉ O DIA EM QUE VOCE COMPLETOU 18 ANOS, depois, toda a responsabilidade é sua e meu amigo, é intransferível.... Sua e tão somente sua!!!


Bom, pretendo colocar novos posts, se tiverem idéias, mandem aí, que eu mando ver...



Tipo 2 - O Filho (A Filha)

Tipo 3 - O Amigo (A Amiga)

Tipo 4 - O Amado (A Amada)

Tipo 5 - O Inimigo (A Inimiga)

Tipo 6 - Seu Superior

Tipo 7 - O Ídolo 

Tipo 8 - Deuses

Tipo 9 - O Sexo

Tipo 10 - O Trabalho

Tipo 11 - Os Demonios

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Feliz Aniversario, Meu Amor.




Hoje, mais uma vez, lembrei-me da data do nascimento de uma das pessoas mais importantes que conheço.

Esta pessoa me trouxe muitas novidades e ao mesmo tempo, muitas lembranças.

Eu a vim conhecendo aos poucos, e cada pedaço dela... até chegar ao dia de hoje.

Ela tem coisas interessantes e enigmáticas... Tem coisas fantásticas e tem suas crises de loucura.

Ela é uma menina, perdida... Uma amante desinibida... Ela tem um carinho maternal... um desassossego adolescente, uma disciplina papal.

Ela é forte, amiga e doce.

Ela é uma audaciosa inimiga... deixa-se esvair em sangue para ganhar.
Ela compete, só por que tem competencia

Ela ri, e ilumina meus dias.
Ela chora, e o universo se acende para alegrá-la.

Ela é tão especial e única, que quase ninguem a vê...
Não na plenitude que a percebo.

Ela tem filhotes espalhados pelo mundo, de diversos tipos, raças e cores.

Tudo que ela cria, tem seu perfume, seu nome, seu sabor...

Ela tem a docura de um felino na hora do abate
A retidão de um elefante em sua manada
A memória de um peixe dourado
E a gargalhada de uma hiena desafinada.

Ela é uma mulher-homem... forte e briguenta...
Ela é uma mulher-bicho... instintiva e imaginativa
Ela é uma mulher-menina... risonha e palhaça
Ela é uma mulher-fêmea... seus hormonios a comandam...

Ela é o meu modelo... ela tudo que eu gostaria de ser
quando chegasse à este ou aquele momento da vida.
Ela tem as certezas tomadas, em cada encruzilhada
que passou e escolheu.

Ela é dona do seu destino, e isto a faz dona do meu também.
Ela é a senhora dos seus medos, e pra ela entrego todos os meus
Em confiaça e amor.

Ela é a sacerdotisa que eu amo, e por ela sou amada...
A mae que me acolhe, e a filha que me conforta...
Ela é adoravel, bela e sem limites
Ela é aquela que povoa meus sonhos

Ela é a MULHER que eu AMO.
E eu sou grata por poder amá-la assim, tão livre e intensamente.

Parabéns,

Calixto Circe Cency
Parabéns,

Fabiane Bianchi
3c

*******************************************
E sim, eu me amo. Eu me parabenizo.
Não é por que ninguem o faça, é por que eu gosto de dizer que amo, e gosto de me sentir amada.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Alguem...

Durante muitos anos, procurei alguem ou algo que não sabia direito explicar.
Hora era a estabilidade, hora era o romance...
Ora, ora, talvez sexo.
Parei de buscar.
Não por que encontrei alguem que seja perfeito...
Mas por ter encontrado alguem perfeito pra mim...
Alguem que me tira o sono, por riso, por raiva, por sexo ou por abandono.
Alguem que me enlouquece, de paixão, de ira e de emoçaõ
Alguem que não me completa, mas me lembra quem eu sou.
Alguem que não me adora, mas que está disposto a me amar.
Alguem com quem posso rir, chorar, amar e sentir
Alguem que me faz lembrar que a vida não é, e não precisa ser
Morna.
Alguem que me tira da ordem, que estabelece o caos
Mas ainda assim,
Me faz querer amá-lo, aninhá-lo e cuidá-lo.
Alguem que se esquece do mais banal,
Mas sempre lembra do mais importante:
Que é em seus braços que sou feliz
E me faz feliz assim
Alguem que me consola e que me faz vibrar
Alguem que não tem medo de se desculpar
Que me faz repensar e aprender
Novas formas de falar, de sentir e de querer
Que me faz sonhar,
Que me impede de desistir
Que me faz caminhar, melhorar e até malhar
Alguém que me faz querer ir
Pra algum lugar diferente
Pra mudar.
Alguem que consegue me ouvir,
Mesmo sem entender o que eu tento falar
Tenho alguem que escolhi
Apenas por hoje
Amar
Por todos os dias
Que eu conseguir lembrar
Como chegamos aqui
Alguem que me diz eu te amo, com apenas um olhar.
Alguem que me faz ter vontade de levantar
Abençoar o dia e torcer, para que tudo esteja bem
Quando eu voltar
Só pra poder de novo
Em seus braços me aninhar...
Alguem...
Que me faz aberta,
Na expectativa
Da novidade que o amanhã
Certamente trará...

É este alguem que eu amo,
Vivo, turvo, pulsante
Puro, ativo, deselegante,
É este alguem que eu amo,

Com tudo que ele tem à me mostrar.



3c

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Alô, Quem fala?

Hoje estava lendo um dos blogs que eu sigo (http://divinosegredo.blogspot.com/2011/02/ligacao.html)...

E uma história similar rolou comigo...Resolvi postar para relembrar velhos tempos....



Tudo começa com um rolo entre eu e um taxista...nos tornamos namorados e eu ganhei um pé na bunda quatro ou cinco meses depois do inicio do namoro...

Uns dois anos se passaram e nos encontramos novamente... Vale explicar que sempre rolou uma quimica intensa entre a gente e, eu lido bem com "pés na bunda" depois que a raiva passa. Sempre acho que quem deu o pé, tinha seus motivos... e ele, certamente tinha os seus...

Bom o fato é que quando nos reencontramos, a faísca voltou a chama e transamos loucamente pra matar as saudades... e, enfim, passou-se um, dois, tres meses...E nós firmes e fortes, dia sim, dia não...

Devido ao nosso passado e às minhas relações da época, preferi não perguntar se ele estava comprometido ou não, mas deixei claro que eu estava sempre disponível à novos pa's (defini esta sigla em outro post, divirtam-se procurando), ou seja, que eu não seria exclusiva... mas disponível a ele, com certeza!

Um dia, vi que estava online, e aproveitei para marcar uma corrida, de verdade, para a manhã do dia seguinte, pois teria que sair muito cedo... como ele não respondeu na hora, deixei o telefone de minha casa, numero que ele não tinha, para que ele me ligasse confirmando.

Dois minutos depois a voz feminina do outro lado me perguntava: "De onde fala?"
- De minha casa, respondi. Em que posso ajudá-la?
- Me dizendo quem está falando...
Ri advinhando que poderia ser a D. Encrenca de alguem...
- No momento é a senhora... está com algum problema?
- Não, meu nome é E....;  Eu estava organizando a agenda do meu MARIDO, e vi este numero sem nome, então gostaria de saber com quem estou falando pra anotar...
- Bom, depende de quem é o seu marido minha senhora. Como não sou muito boa de nomes, poderia me dizer qual é a profissão dele? (Esclareço que na época, minha tara era por profissionais sarados)... Tinha um mecânico, um advogado, um taxista, um bombeiro hidráulico ... dentre outros - saudades daqueles "manutentores".
- Então ela respondeu: ele é taxista, o nome é C.....A........
- Ah sim... Então, sou cliente dele. Na verdade, trocamos alguns favores de vez em quando. A senhora não achou o telefone dele na agenda, ou em um papel, pois acabei de dar este numero pra ele pelo msn. Agora percebo que o que a senhora fez é muito feio. Mentiu pra mim e, pior, mentiu em nome do seu marido. Eu só passei uma corrida pra ele e estava aguardando confirmação, se a senhora ler o que escrevi no msn, poderá ver que estou sendo sincera. Alias, utilizo o serviço do seu marido para minha empresa já há alguns anos e, (uma pausa proposital para perceber se estava de fato sendo ouvida) fiquei muito feliz em saber que além de taxista, seu esposo não era evangélico, pois assim, quando não tenho dinheiro, troco alguns favores com ele. De qualquer forma, a senhora não disse em que posso ajudá-la.

(tum tum tum) acho que ela desligou...

Menos de um minuto depois, meu celular toca. Era o taxista:
- Oi amor, tudo bem?
- Tudo meu querido, estou com saudades. Onde voce está? Vou te ver hoje?
- Não meu bem, é que....(então ele ficou meio gago), estou com um pr o ble-mi-nha... (silêncio).
- O que aconteceu?! voce está bem?
- S-sim, estou. Mas... (suspiro)... não sei como te dizer isso...
- Não se preocupe querido, eu digo pra voce: Se seu Probleminha se chama E..., fique tranquilo, pois ela acabou de me ligar. Não lembro ao certo o que ela queria, mas quando esclareci que nossa relação era profissional, parece que ela ficou satisfeita.
(um suspiro de alivio).
- O que voce disse a ela?
- Que troco favores sexuais por corridas longas...

(tum tum tum)
***********************************

Não entendi por que as pessoas não conseguem ser educadas e se despedirem antes de desligarem....

***********************************